Skip to content

Início » Artigos » Saúde » Suicídio – Precisamos Falar e “Ouvir” sobre isso

Suicídio – Precisamos Falar e “Ouvir” sobre isso

Suicídio Precisamos Falar e Ouvir sobre isso Izabela Neves Freitas

Todo mundo conhece alguém, ou ouviu falar de alguém, ou soube de uma história de alguém!

Mas quando se sabe, se comenta o alguém de alguém já foi!

E não deu tempo, e ninguém percebeu.

Acabar com vida não é a vida que se quer acabar é a dor.

A dor de uma alma que foi ferida, que se feriu, que não soube ou sequer conseguiu ou não teve tempo de pedir ajuda.

Por vergonha, por medo, por um motivo qualquer.

Precisamos falar sobre isso, precisamos estar atentos e cuidar da saúde mental, de proteger e reconhecer nossas emoções e daqueles que amamos.

Como você pode fazer para ajudar?

  1. Esteja atento aos sinais: procure ouvir o que não está sendo dito, muitas vezes o pensamento suicida está escondido em um sorriso, aprece nas expressões de depressão, desesperança, desamparo, e desespero. A pessoa expressa sentimentos de inutilidade, culpa, raiva, impulsividade e agressividade. Utiliza expressões que se referem a querer fugir do mundo, vontade de dormir e só acordar quando tudo isso passar, se eu pudesse sairia andando sem rumo, não tenho mais vontade de viver. E até alguns comportamentos que coloquem a vida em risco.
  2. Tenha empatia: Escute, não deixe de dar importância ao sentimento da pessoa, não critique ou julgue suas constantes repetições e desabafos, não tente encontrar saídas rápidas para a melhora como sair um pouco, lavar uma louça, encontrar um trabalho. Ofereça ajuda. Caminhe com afeto ao lado da pessoa dando um passo de cada vez.
  3. Procure ajuda profissional. Psicólogos são profissionais da saúde mental treinados para lidar com essas situações; O psicólogo está capacitado para fazer uma avaliação e identificar os riscos e gatilhos e desta forma encontrar fatores de proteção e manter o paciente e sua família em segurança. Dependendo da intensidade da crise poderá ser necessário o encaminhamento medicamentoso com um psiquiatra ou internamento.
  4. O processo de psicoterapia pode durar alguns meses as vezes um pouco mais e o profissional psicólogo irá acompanhar o paciente de forma que organize suas emoções, encontre vínculos afetivos, tome decisões acertadas e consiga continuar a seguir com mais leveza e encontrar motivos escolher viver. Estou aqui para ajudar Izabela Neves Freitas CRP 08/07396

Deixe um Comentário





Scroll To Top